Devocional, pra que te quero?

nn-1740x909

P.S: Pessoal, me perdoem, houve um erro de edição no blog, por alguma razão ele duplicou alguns trechos  e incluiu compartilhamentos do Facebook. Só me dei conta agora, graças a algumas observações que me foram passadas. Já foi corrigido, mas caso algo passe despercebido aos meus olhos, sintam-se livres para comentar. Obrigada ❤ 

      Quero falar um pouco sobre DEVOCIONAL, essa prática fundamental para a boa saúde espiritual de todo cristão, mas estranha para muitos. É triste constatar que boa parte dos cristãos não têm uma vida devocional consistente. Muitos não sabem o que é um devocional, outros até sabem, mas não sabem por onde começar. Talvez você faça parte desse grupo, se for o caso, esse post é pra você. Meu intuito é explicar e incentiva-la a cultivar a disciplina devocional e estou certa de que esse cultivo (diário) lhe trará progresso espiritual consistente. Dito isso, vamos partir do início.

  • O que é o DEVOCIONAL?

      Devocional é o momento que separamos no dia para nos dedicarmos a algumas disciplinas espirituais como a oração, a leitura da Palavra e a meditação. Ele também pode incluir um período de cânticos espirituais.

  • Quando se deve fazer o Devocional?

O devocional é uma prática diária. Por experiência, eu sempre aconselho que ele seja realizado no primeiro período do dia, pela manhã. Antes mesmo de sair do quarto para outras atividades. Por quê? Porque, uma vez que você sai do quarto, as tarefas do dia já começam a lhe chamar e é muito mais difícil retomar à solitude do quarto e se concentrar para orar, ler a Bíblia e meditar. Por isso, eu gosto de falar com Deus antes de falar com qualquer outra pessoa (isso inclui conversas virtuais).

      Há pessoas que acordam muito cedo e não têm tempo de fazer devocional antes de sair de casa, algumas delas conseguem fazer à noite. Pessoalmente (isso não é uma regra) eu tenho dificuldade com devocionais noturnos. Primeiramente, porque a ideia de fazer o devocional pela manhã é começar o dia em comunhão com Deus. A Palavra que lemos pela manhã é aquela na qual meditaremos ao longo do dia, digerindo, ponderando, assimilando. Assim como é benéfico começar o dia com um bom e nutritivo café da manhã, é totalmente revigorante começar o dia bem nutrido espiritualmente. Em segundo lugar, a noite normalmente estamos mais cansados e sonolentos o que dificulta o nível de concentração. Se você chega em casa e ainda precisa fazer janta, cuidar da casa, estudar, provavelmente o devocional será a última atividade do seu dia e a probabilidade de você dormir orando é grande (já fiz isso diversas vezes). Em terceiro lugar, fazer o devocional logo de manhã é uma forma de priorizar aquilo que é de fato importante. É uma forma de mostrar (primeiramente a nós mesmas) que, apesar das urgências do dia, escolhemos a boa parte.

       Quando Jesus foi à casa de Lázaro, Marta estava entretida com seus muitos afazeres, ela havia priorizado as tarefas do dia (a fim de poder servir a Jesus), embora sua intenção fosse boa, Jesus lhe disse: “Marta, Marta, estás ansiosa e perturbada com muitas coisas; entretanto poucas são necessárias, ou mesmo uma só, Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada” (Lucas 10.41,42). Não devemos deixar que as perturbações do dia a dia tirem de nós a melhor parte, a oportunidade de passarmos um tempo aos pés do Senhor conhecendo mais de sua Santa Palavra. Todas as outras coisas nos podem ser tiradas, exceto aquilo que cultivamos da presença de Deus.

      O devocional é a nossa porção diária, o maná que precisamos para viver cada dia. Nesse período temos a oportunidade de receber a orientação e o conselho de Deus para as nossas vidas. É como a orientação que a mãe dá a seu filho antes de despedi-lo para as atividades do dia. E em quarto lugar, ao iniciarmos o nosso dia com o período devocional, estamos declarando a nossa dependência de Deus, reconhecendo que sem Ele nada podemos fazer.

      A prática devocional traz muitos frutos, mas uma vida frutífera não vem sem sacrifícios. Se é preciso sacrificar um período do seu sono para ter esse tempo, faça-o. Paulo falando a Timóteo disse: “Exercita-te, pessoalmente na piedade. Pois o exercício físico para pouco é proveitoso, mas a piedade para tudo é proveitosa, pois tem promessa da vida que agora é e da que há de ser.” (I Tm 4.7,8) Se há algo que vale todo o nosso esforço é o exercício espiritual.

  • E se eu realmente não puder fazer devocional pela manhã?

      Como eu já disse, isso não é uma regra, mas um conselho pessoal. Estou ciente de que existem casos e casos. Cada um tem uma realidade e sua rotina [por exemplo, mães de filhos pequenos]. Quem dera todos pudessem fazer isso, mas, se você não pode, então, agende um horário para que possa fazer isso, seja na hora do almoço, ao chegar em casa ou antes de dormir. Mas é importante que você deixe um horário fixo para isso.

      O devocional deve ser INTENCIONAL, ou seja, deve ter hora e lugar marcados. Não espere sobrar um tempo para fazê-lo (nunca vai sobrar), ou sentir um toque especial no coração. Não romantize. Prepare esse tempo; desligue ou silencie o celular, escolha o local e o horário adequado para que não haja interrupção.

  • Quanto tempo devo dedicar ao período devocional?

      Isso pode variar. No meu caso, normalmente eu separo 1h, mas não tenho uma regra de “x” minutos para cada coisa, isso varia. Há dias em que eu levo muito tempo orando e há dias em que minhas orações são mais curtas… Mas, a leitura da Palavra nunca deve ser negligenciada. Com o hábito, a devocional se torna cada vez mais fácil e prazerosa e nem percebemos o tempo passar.

      Uma boa dica para aproveitar o tempo é anotar assuntos de oração, assim, você não precisará ficar divagando em busca do que orar. É importante pensarmos no que vamos orar e não simplesmente esperar que os motivos surjam, pois, às vezes, eles demoram a surgir – principalmente se você acabou de acordar. Além de anotar os seus motivos de oração, uma boa dica é ter em mente ou em mãos uma lista dos atributos de Deus para iniciar sua oração exaltando a glória de Deus – por vezes esses atributos nos fogem da mente. Sei que pode parecer estranho a princípio e até meio mecânico, mas é melhor do que ficarmos inventando o que falar a Deus.

      Medite sobre os atributos de Deus. Não é horrível quando alguém tem que falar coisas boas a seu respeito e ela simplesmente não sabe o que dizer? Isso demonstra duas coisas, ou ela não reconhece tais qualidades em você ou ela não te conhece. Qualquer um dos casos seria ofensivo para nós e não é diferente com Deus.

      Se lhe faltarem palavras para orar, existe um recurso infalível: as Escrituras! Oras as Escrituras é uma das experiências espirituais mais lindas que podemos experimentar. Orar os Salmos, em especial, é muito enriquecedor – enriquece a mente, o coração e o nosso vocabulário. Com o tempo, nossa boca se enche de elogios a Deus. Isso é maravilhoso. Por isso, crie o hábito de orar as Escrituras também.

      Também é muito útil anotar os pedidos de oração por data e lembrar-se de anotar quando tiver recebido uma resposta de Deus a eles.

  • Como devo ler a Bíblia?

      Essa pode parecer uma pergunta boba, mas ela é FUNDAMENTAL. Eu aprendi o que era devocional na adolescência, mas confesso que minha vida devocional só cresceu de forma consistente nos últimos cinco anos. Um dos pontos chaves para isso foi a mudança na minha forma de ler a Bíblia. Por muitos anos, eu fazia exatamente assim: Eu orava pedindo a Deus que me iluminasse e depois abria a Bíblia aleatoriamente e o primeiro versículo (interessante) que eu batia o olho era o versículo do dia para a minha meditação. Resultado: meu conhecimento bíblico sempre foi muito frágil e superficial. Além disso, havia dias que eu não encontrava de primeira “o texto inspirado do dia” e eu ficava muito frustrada com Deus e entendia que Deus não queria falar comigo naquele dia (olha o absurdo)! Felizmente, Deus não me deixou na ignorância e aprendi que a melhor forma de ler a Bíblia é a mesma forma que lemos um livro: a partir do início. Ninguém pega um livro para ler e abre na metade e começa a ler a partir dali – sem nenhuma conexão com o que vem antes e depois, isso não faria o menor sentido! A Bíblia é um livro, ela possui uma lógica, uma coerência, uma sequência com começo meio e fim. Sem essa perspectiva maior, nossa leitura sempre será frágil.

      Portanto, não leia a Bíblia de forma desconexa. Escolha um livro específico no qual irá meditar durante um período e então, leia-o do início ao fim. Leia em sequência, isso disciplinará a sua mente, pois, normalmente, a nossa tendência é ler somente aqueles versículos “gostosos”, mas é vital que aprendamos a explorar eficientemente a Palavra de Deus para o nosso próprio benefício.
“Uma pessoa que lê a Bíblia de modo casual, uma página aqui e outra ali, não é, em nenhum sentido, um estudioso dela” (Howard F. Vos)

      Esse ano minha leitura devocional começou no livro de Jó e agora iniciei o Novo Testamento. Meu propósito é meditar nos quatro Evangelhos e depois nas epístolas. É importante ressaltar que a leitura devocional é diferente daquela leitura anual que fazemos da Bíblia. Qual a diferença? A diferença é que a leitura devocional é meditativa, ou seja, você se atém às partes menores para poder se aprofundar – pessoalmente, eu acho que até mesmo a leitura anual não deve ser uma mera leitura corrida, mas uma leitura pausada, com anotações para que possamos assimilar o máximo do conteúdo.

      Leia o texto mais de uma vez, não vá com muita sede ao pote, leia trechos pequenos por vez para poder digerir. Você pode passar uma semana meditando em um único versículo e a cada dia o Senhor me trará novas coisas sobre o mesmo texto.

  • Por que não usar devocionais prontos?

      Devocionais prontos têm sua utilidade, mas eu diria que são como aquela barrinha de cereal que você come rapidinho de manhã ou põe na bolsa pra comer quando está com muita pressa e não tem tempo de tomar café da manhã. Ou seja, eles podem ser usados em certos casos, mas não devemos nos habituar a eles. A razão disso é que, assim como uma barrinha de cereal, eles servem para o momento, mas não fornecem nutrição a longo prazo. Esses devocionais tendem a nos tornar espiritualmente preguiçosos porque não temos o trabalho de cavoucar o texto, questioná-lo e queimar alguns neurônios – sim, porque embora seja um exercício espiritual, ler a Bíblia envolve esforço mental.

      Além de trazer versículos aleatórios limitando a nossa compreensão do todo, a maioria das pessoas que se habituam a usá-los acabam nem lendo os versículos na própria Bíblia. Outro ponto é que o Devocional sempre será a compreensão daquele autor que meditou no texto bíblico, ou seja, são as impressões dele sobre o texto. Isso tem o seu valor, mas Deus deseja falar diretamente conosco usando nossa mente e entendimento. Parafraseando Howard F. Vos, não se prive da bênção de descobrir, por si mesma, verdades eternas[1].

Dispense a preguiça.

      Somos facilmente tentados a usar recursos que facilitam a nossa compreensão como, por exemplo, os comentários contidos nas Bíblias de estudo; e acabamos nos tornando preguiçosos. Mal lemos o texto e já vamos direto nos comentários para ver o que o comentarias tem a dizer. Você sabe como o comentarista chegou e tais conclusões? (Fazendo aquilo que nós, muitas vezes, temos preguiça de fazer) Meditando! Não existe outro caminho.

“A repetição de verdades bíblicas profundas, descobertas por um Spurgeon ou um Moody ou um Morgan, tornou-se uma prática aceita. Muitas pessoas querem ter a habilidade de proferir belos pensamentos semelhantes aos desses grandes homens do passado, mas não conseguem discernir as bênçãos mais ricas de Deus porque não estão dispostas a pagar o preço para descobri-las. Outras podem ter a ambição e perseverança, mas não sabem como encontrar, por si mesmas, as riquezas da Palavra de Deus. As coisas mais profundas da Palavra não estão reservadas para algumas pessoas especiais, mas estão disponíveis a todos os que as procuram. No entanto, o fato de que todos podem investigar minuciosamente as profundezas da verdade espiritual, não significa que eles possam fazer isso sem esforço. Procurar atalhos é uma das grandes maldições do momento; não existe nenhum atalho para o conhecimento verdadeiro da Palavra. A Filosofia do ‘Aprenda Espanhol em Vinte Lições Fáceis’ não funciona com Deus. A única maneira de obter sucesso nesse campo é por meio do trabalho árduo e de uma dependência no ministério de ensino do Espírito Santo.” (Howard F. Vos)

      O texto pode parecer difícil à primeira vista, mas leia diversas vezes. Há textos que preciso ler três, quatro, cinco, quantas vezes forem necessárias, até que eu entenda (e quando realmente não entendo uso o auxílio de um comentário bíblico). Ou seja, o comentário deve ser o último recurso. Acima de tudo você use a própria Escritura. O contato direto com a Palavra de Deus nos fornece todos os nutrientes que precisamos para uma boa saúde espiritual. Não dispense isso.

      A Bíblia explica a si mesma. Muitas vezes a resposta a questionamentos que surgem durante a leitura de determinada passagem se encontra em um outro texto bíblico, por isso, é importante ter uma visão ampla da Bíblia e também conhecer os temas centrais que ela aborda. Pode parecer difícil, mas meu objetivo é te incentivar e não desanimar. Garanto que à medida que você lê tudo isso vai se tornando claro.

Continua…

[1] Em seu livro Métodos de Estudo Bíblico, editora Cultura Cristã.

Advertisements

2 thoughts on “Devocional, pra que te quero?

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s