Princípios Bíblicos para o Casamento

casamento

No seminário temos uma disciplina chamada Homilética na qual basicamente aprendemos a montar um sermão e pregar. A cada quinta-feira dois alunos pregam para a sala com base num texto bíblico escolhido pelo professor e então, somos avaliados pelos colegas e depois pelo mestre. Neste último semestre os sermões têm sido temáticos: funeral, batismo, casamento, etc. Na semana passada fui incumbida da missão de preparar um sermão sobre casamento e pregar para a minha turma. Confesso que não foi fácil, mas com a graça de Deus e bastante suor o resultado foi bom (me rendeu um 9.2! Quase um milagre pra quem não passou de 8 esse ano! Acho que o meu negócio é abordar assuntos relacionados a masculinidade, feminilidade e casamento mesmo haha).

Queria compartilhar esse “sermão” aqui no blog, tentei modificar o máximo que pude para ficar com mais cara de texto e menos cara de sermão, mas algumas coisas tive que deixar para não descaracterizar demais a pregação. Espero que edifique!

                                                            ———————-

­

Tema: Princípios bíblicos para o casamento

Texto: Efésios 5.22-33

Vivemos um tempo onde o casamento tem sido desprezado e também confundido. Tem se perdido de vista seu significado e propósito. O casamento não é um conto de fadas, como muitos supõem, mas uma união entre dois pecadores lutando para serem santos. Portanto, um dos maiores propósitos do casamento é a nossa santificação. O pastor Héber Campos Jr. diz que o casamento não é tanto um quebra cabeça no qual cada peça já vem no formato certo pra encaixar na outra, mas um mosaico, onde peças diferentes são quebradas para compor um belo quadro final. Casamento requer tempo, paciência e dedicação.

Se observarmos a epístola de Paulo aos Efésios, veremos que a Bíblia nos mostra que o princípio e propósito do casamento vão muito além da união de duas pessoas.

Nos versículos anteriores o apóstolo Paulo vinha falando acerca da nova vida em Cristo e de como cristãos cheios do Espírito Santo devem agir. Uma das características de um cristão cheio do Espírito é a submissão, conforme aparece no v. 21 Isso mostra que todo cristão está submisso a uma autoridade, seja na igreja, no trabalho na sociedade ou em casa.

A partir do v. 24, o apóstolo Paulo sai da relação igreja e parte para a relação família e ele começa trazendo uma palavra de exortação às esposas. Sim, é fato que a submissão é uma característica que se requer de todo cristão, mas dentro do lar a ordem que Deus estabeleceu para o casamento é o marido como autoridade e a esposa submissa à autoridade do marido. Sendo assim, o primeiro princípio bíblico para o casamento é:

  1. A submissão da esposa (v. 22 – 24)

  É interessante que Paulo inicie falando sobre a submissão e atribua esse princípio a mulher. Vivemos em um tempo em que a palavra submissão se tornou um palavrão terrível para muitas mulheres.  Para elas a submissão é vista como algo negativo, humilhante e até mesmo opressor. Mas o que a Bíblia tem a nos dizer a respeito da submissão? Ao examinarmos o texto em questão, vemos que a submissão é um princípio bíblico. A palavra submissão é atribuída ao próprio Senhor Jesus, que mesmo sendo semelhante ao Pai se esvaziou e se submeteu à Sua autoridade. Portanto, a submissão não tem a ver com inferioridade, nem com incapacidade.

Deus projetou a submissão como algo bom e não ruim, como bênção e não maldição.  A submissão já existia mesmo antes da queda, mas por causa do pecado, ela se tornou algo difícil para a mulher, mas em Cristo ela se torna possível. Ao ler esse texto algumas perguntas podem surgir:

1º Por que a esposa deve ser submissa ao marido?

No v. 23 Paulo responde, dizendo: “porque o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da Igreja”. A palavra cabeça denota autoridade e liderança. Isso quer dizer que a partir do momento em que uma mulher se une ao seu marido, ele é autoridade sobre a vida dela e por isso, ela deve se submeter a ele. Portanto, a razão bíblica pela qual a esposa deve se submeter ao marido é porque Deus em sua sabedoria estabeleceu assim dando ao homem a autoridade.

A segunda pergunta que pode surgir é:

2º Como a esposa deve se submeter ao marido? Paulo responde dizendo primeiramente que “como ao Senhor” (v.22). Submissão não significa que o marido deve se tornar o Senhor da esposa e nem que ele está acima da autoridade de Cristo. Ao dizer que a esposa deve se submeter ao marido como ao Senhor, o apóstolo Paulo está mostrando que a submissão deve ser encarada como uma forma de serviço a Deus. Uma esposa que se submete a seu marido está honrando e servindo primeiramente a Cristo. Em segundo, o apóstolo Paulo diz que “como a Igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo submissas ao seu marido”. Paulo também afirma que a esposa deve se submeter em tudo, mas é importante destacar que a palavra usada aqui no original refere-se a todos os aspectos da vida. Isso significa que todas as áreas da vida da esposa devem estar debaixo da autoridade do marido. Mas isso não quer dizer que a esposa deve fazer tudo o que o esposo diz ou que ela não possa questionar ou discordar dele. Paulo não está sugerindo uma obediência cega e incondicional. A regra áurea da submissão é que a esposa deve se submeter ao marido desde que isso não contrarie os princípios da Palavra de Deus.

Esse é o primeiro princípio bíblico para o casamento, a esposa deve se submeter ao marido como ao Senhor, assim como a Igreja se submete a Cristo.

A submissão é algo difícil para nós mulheres? Sim! Mas igualmente difícil é a ordem dada aos maridos de que amem as suas esposas assim como Cristo amou a Igreja. Muitas esposas vêm na submissão um ato de tamanho sacrifício que se esquecem o quão sacrificial é o amor que a Bíblia requer dos maridos. Isso nos leva ao segundo princípio bíblico para o casamento:

  1. O Amor do marido (v. 25 – 30)

Apesar de ter iniciado seu discurso falando às esposas, o apóstolo

Paulo dedica os próximos seis versículos para falar aos maridos.  No v. 25 ele diz: “Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a Igreja e a si mesmo se entregou por ela”.

Nunca se falou tanto em amor como em nossos dias, porém, se você perguntar a maior parte das pessoas: o que é o amor? Elas não saberão te responder. Para muitos, o amor é puro romance ou paixão. Elas dizem se casar por amor e logo que sentimento passa, partem em busca de uma nova emoção. Mas o que a Bíblia tem a dizer sobre o amor? O amor tem a ver com a totalidade do nosso ser, e deve se basear na Palavra de Deus. Amar é o maior mandamento dado a todo cristão, mas dentro do lar o marido tem a responsabilidade de amar sua esposa como Cristo amou a Igreja. Só existe uma forma de amar verdadeiramente: observando a Cristo. Então, assim como as esposas devem olhar para a Igreja de Cristo e seguir seu exemplo de submissão, também os maridos devem olhar para Cristo e seguir seu exemplo de amor.

A autoridade dada ao marido não está divorciada do amor. Essa autoridade não foi dada para oprimir nem buscar seus próprios interesses, mas para servir e se dar por amor à sua esposa. Mas o que caracteriza o amor?

A maior característica do amor é o sacrifício. Amar é dar-se pelo outro e para o outro. Cristo é o maior exemplo de amor. Ele deu a sua vida pela Igreja não somente em sua morte, mas em todos os dias em que esteve neste mundo, Ele se sacrificou pelo bem de Sua Noiva. Semelhantemente, o marido deve amar e dedicar toda sua vida em favor da esposa. Amar não é apenas morrer pelo outro, mas viver todos os dias para o outro. Isso é sacrifício.

Se o marido não está pronto a fazer da sua esposa a sua prioridade, então, ele não está amando-a como Cristo amou a Igreja.

 A primeira característica do amor do marido é:

2a. O Sacrifício, conforme o v. 25. Amar é se entregar, sacrificar, e abrir mão de si mesmo em pelo outro.

A segunda característica do amor do marido é a:

2b. A Santificação conforme v.26 e 27. O marido deve amar a esposa não simplesmente por amar, mas tendo em vista a santificação dela. Cristo amou e se entregou pela Igreja para fazê-la santa. Sabemos que dos maiores propósitos do casamento é a santificação do marido e da esposa e aqui o apóstolo Paulo nos diz que assim como Cristo amou e se entregou pela Igreja a fim de santificá-la, o marido deve fazer o mesmo.

Cristo tomou a Igreja como Noiva para torná-la santa para si. Maridos, vocês receberam suas esposas para tornarem elas mais santas para Deus. Vocês são instrumentos escolhidos por Deus para que elas sejam santificadas em Cristo. Não fique tentando provocá-la, fazendo ciúmes ou coisas que irão fazê-la pecar. Seja um canal de crescimento e edificação para sua esposa.

Paulo também diz no v. 26 que Cristo trabalhou e se sacrificou para ter a Noiva que Ele almejou; alguém segundo o seu querer. Sabe, muitos homens quando solteiros fazem de tudo para conquistar a moça, e torná-la sua esposa. Mas depois que casam eles não as mimam mais nem se empenham em conquistá-las com pequenos gestos e atitudes. Com o tempo, assim como uma flor não regada, elas começam a murchar e perder sua beleza e vitalidade, por conseguinte, muitos maridos começam a reclamar que a esposa não se arruma, que a esposa está acima do peso, que a esposa vive estressada e desinteressada. Mas esse texto diz que Cristo se sacrificou para ter a Noiva que Ele queria ter. Semelhantemente, o marido deve se sacrificar para formar em sua mulher a esposa que anseia ver nela. O que você tem feito em benefício dela para que ela seja o que você almeja? Você quer que a sua esposa ande mais bonita? Invista na aparência dela. Você acha que ela está acima do peso? Não apenas critique, mas incentive-a a cuidar mais da saúde, vá caminhar com ela pela manhã. Você quer que ela ande menos estressada? Que tal levá-la para passear, viajar, ajudar com as crianças ou presenteá-la com flores? Não há estresse que resista!

E a melhor parte disso? É o que Paulo diz no v. 29b “Quem ama a sua esposa ama a si mesmo”. O que isso quer dizer?

O maior beneficiado no bem estar da esposa é o próprio marido! Quando faz algo a ela, seja bem ou mal, ele faz a si mesmo.

É beneficio do próprio marido ter uma mulher mais feliz dentro de casa.

Quanto mais amados por Cristo nos sentimos, mais queremos nos santificar para Ele, mais queremos apresentar as nossas vestes limpas e nosso coração puro para agradá-Lo. Da mesma forma, quanto mais amada uma esposa se sente, mais ela deseja agradar ao seu marido e lhe fazer bem. Provérbios 31.12 diz que a mulher virtuosa faz bem ao seu marido todos os dias da sua vida. Marido, se você deseja que sua esposa que te faça bem todos os dias da sua vida, invista nela e isso retornará em bem para você. A Bíblia te garante que esse investimento não é perdido.

Nos v. 29 e 30 o apóstolo Paulo continua falando aos maridos. Após dizer que quem ama a sua esposa a si mesmo ama, Paulo afirma que “ninguém jamais odiou a sua própria carne, antes, a alimenta e dela cuida, como também Cristo o faz com a Igreja”. Cristo está empenhado em cuidar de todas as necessidades da Sua Noiva, Ele a alimenta, cuida e está sempre pronto a socorrê-la. Assim como Cristo, o marido deve cuidar da sua esposa, por isso, a terceira característica do amor do marido é:

2c. A Provisão. Amar não é só dizer “Eu te amo”. Amar é se empenhar em suprir as necessidades da sua esposa.

– A necessidade de comunicação, por exemplo. Muitos maridos reclamam que as esposas falam demais, mas eles se esquecem que por natureza a mulher tem mais necessidade de falar e ser ouvida. É seu dever como marido prover atenção e diálogo a ela. É triste dizer isso, mas muitas mulheres têm abandonado seus maridos porque encontraram fora de casa alguém que as ouvisse. Então, quando a sua esposa estiver falando com você, dê atenção a ela. Desligue a TV, sente para conversar e ouvir.

Outra necessidade que eu poderia destacar é a necessidade material:

É dever do marido suprir suas esposas materialmente. Em nossos dias isso tem sido desprezado. Soa algo careta e antiquado, mas é dever do marido sustentar e prover a sua casa. Ainda que a esposa trabalhe, esse peso não está sobre os ombros dela. Quando um homem assume a responsabilidade de se tornar marido, ele assume a responsabilidade de se tornar provedor. Assim como Cristo é provedor da Sua Noiva, o marido deve ser provedor da sua esposa. O marido que se espelha em Cristo não vê a provisão como um fardo, ele faz por amor, porque é como se fizesse a si mesmo e, de fato, ele está fazendo a si mesmo. Ele se alegra tanto em gastar consigo quanto em gastar com a esposa porque ela é parte do seu próprio corpo, pois eles são uma só carne. E isso nos leva ao terceiro e último princípio bíblico para o casamento:

  1. A União de ambos (v. 31 – 33)

Até aqui nós vimos que o primeiro princípio bíblico para o casamento é: A submissão da esposa, o segundo: O amor do marido (que se expressa no sacrifício, na santificação e na provisão) e o terceiro e último: A união de ambos. No v. 31 o apóstolo Paulo diz: “Eis porque deixará o homem a seu pai e sua mãe e se unirá á sua mulher, e se tornarão os dois uma só carne”. Nesse versículo, o apóstolo Paulo volta à Gênesis 2.24 quando Adão recebeu Eva das mãos de Deus. A ideia contida nestas palavras é de que os laços entre esposo e esposa são mais fortes que qualquer outra relação humana, superando até mesmo aquela intima relação entre pais e filhos. Sendo assim, ordena-se que o homem deixe a seus pais e se una a sua esposa e os dois se unirão se tornando uma só carne. Essa união é algo exclusivo ao casamento: ela diz respeito essencialmente à união sexual. Esse tipo de união o marido e a esposa não terão com mais ninguém! Ela é mais forte que qualquer laço sanguíneo ou relacional que se possa ter e é única e exclusiva.  Quando há amor e submissão, entrega voluntária, sacrifício e santidade no casamento essa união é natural e abençoada. A Bíblia compara essa união profunda e poderosa à união entre Cristo e a Igreja. Nem seu melhor amigo, nem seu pai, sua mãe, seu pastor, ninguém pode ser mais íntimo de você do que sua esposa ou seu esposo.

O termo uma só carne também pode ser aplicado à união de mente, coração e propósito. Um casal deve buscar união em tudo e não deve permitir que nada nem ninguém interfira nessa união. A partir do momento em que um homem e uma mulher dizem sim, os seus interesses individuais deixam de ser prioridade. O “eu” abre lugar para o “nós”, o “meu” abre lugar para o “nosso”.

Para concluir esta mensagem precisamos responder a questão: Por que o casamento algo tão importante na Bíblia? Os v. 32 nos revela esse mistério: O casamento entre homem e mulher foi projetado por Deus para expressar a profundeza do propósito de Deus ao enviar Cristo para viver e morrer a fim de tomar como esposa para Si. Não há no mundo uma metáfora que possa expressar a sublimidade desse mistério, mas aprouve a Deus revelar-nos parte da grandeza desse mistério por meio do casamento.

O casamento é uma união indissolúvel enquanto marido e esposa viverem, porque essa união em ultima estância não tem a ver com ambos, mas tem a ver com Cristo. Casar é assumir a responsabilidade de expressar o grande propósito de Deus para os homens através dessa pequena e imperfeita, mas ainda assim poderosa união.  No casamento marido e esposa devem se perguntar todos os dias se o amor de um pelo outro tem refletido as características do amor de Cristo pela Igreja. Uma das coisas na união entre Cristo e a Igreja é que Cristo não ama a Igreja só quando ela faz o que Ele deseja e espera, mas Ele a ama e perdoa mesmo quando ela falha, mesmo quando ela o ofende. O amor de Cristo cobre a multidão dos pecados da sua Noiva. Assim também, o amor entre o casal deve cobrir uma multidão de pecados, uma multidão de erros.

Paulo conclui essa mensagem relembrando os dois primeiros princípios que nós vimos aqui: o Amor e a submissão. Tanto um quanto outro refletem o caráter de Cristo e exigem entrega e sacrifício. John Stott disse que submissão é entregar-se a alguém e amor é entregar-se por alguém. Cristo cumpriu isso ao seu entregar ao Pai e ao entregar-se pela Igreja.  Sendo assim, só posso concluir que no casamento Deus nos concede a sublime oportunidade de nos tornarmos mais semelhantes a Cristo.

No Amor de Cristo

Prisca Lessa

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s