A Soberania de Deus em meio às crises

300px-Daniellion

Nos últimos meses “crise” se tornou uma palavra rotineira, é o que mais se ouve e se lê nos jornais, nas revistas e nas conversas. O mundo inteiro parece mergulhado numa enorme crise que se alastra como uma bola de neve. Por todo canto, há pessoas tentando superá-la, se por um lado sírios estão tentando romper as fronteiras em busca de abrigo na Europa, por outro, pessoas estão saindo do Brasil em busca de melhores condições para se viver. Onde quer que olhemos lá está ela.

Não obstante as crises externas, a vida segue com suas crises internas: crises espirituais, emocionais, no casamento, na família, no trabalho. A má notícia é que infelizmente, enquanto estivermos neste mundo às crises virão vez ou outra, algumas com maior intensidade, outras mais passageiras. O fato é que mesmo em meio a elas Deus nos permite aprender e tirar bom proveito dessas situações.

Lendo um pouco sobre a vida de Daniel (6:10-28), passei a refletir em como Deus usa situações difíceis para cumprir os seus propósitos na vida dos seus filhos e através deles. Daniel foi um jovem que enfrentou várias crises e ainda assim deixou um testemunho de fidelidade a Deus em meio às adversidades.

O livro de Daniel nos conta que em meio a uma situação de crise, ele e muitos outros judeus foram levados como escravos para a Babilônia. Se nós considerarmos que os que eram levados cativos geralmente eram os mais cultos, inteligentes e bonitos, veremos que à primeira vista Daniel tinha um futuro promissor que foi interrompido por uma situação totalmente inesperada. Certamente ele tinha traçado seus planos de vida e eles não incluíam ser escravo na Babilônia (!). Apesar disso Daniel permaneceu fiel a Deus, e mesmo ali, Deus usou aquela crise para trazer oportunidades que Daniel certamente não teria se estivesse em seu país. É interessante que por mais que custemos a perceber, as crises sempre nos trazem oportunidades que nós não teríamos em outras circunstâncias.

Como diz a canção:  

Bom marinheiro só se faz com a tempestade no mar

Que o ensina a velejar,

São e salvo retornar (Marcela Taís, Risco)

Crises podem ser oportunidades de grande crescimento e aprendizado, basta sabermos encará-las.

 Daniel cresceu e prosperou na Babilônia, recebeu cargos de destaque a ponto de ser escolhido para presidir todo o império babilônico, na época sob o governo de Dario.

Porém, essa decisão gerou inveja entre os demais governantes do império, e por conta disso, eles decidiram prejudicar Daniel convencendo o rei a promulgar uma lei para que durante 30 dias ninguém adorasse ou invocasse outro deus senão o próprio rei. Aqueles que desobedecessem ao decreto seriam jogados na cova dos leões.

Porém, apesar desse decreto, Daniel não se deixou abalar (v.10), a despeito do perigo ele não mudou seu comportamento, continuou agindo como sempre, chegou a sua casa e foi orar no quarto com as janelas abertas sem nada a temer.  É interessante a atitude dele em meio a essa situação que ameaçava sua própria vida; ele poderia ter escolhido não orar durante esses trinta dias ou orar, mas de janelas fechadas, entretanto, ele não deixou que as circunstâncias influenciassem sua vida de oração e sua devoção a Deus. Muitas vezes, quando enfrentamos momentos crises, nossa primeira reação é desânimo e abatimento. Deixamos de orar, de ler a Bíblia e consequentemente perdemos a confiança e não conseguimos ser fiéis a Deus. Devemos aprender com Daniel e não nos deixar intimidar pelas crises, mas buscar Deus em todo tempo.

Outra reação comum em meio às crises é tentar buscar soluções fora de Deus. Deixamos Deus de lado, enquanto vamos ali tentar dar o nosso “jeitinho”, pra no fim das contas percebermos que todos os nossos esforços foram inúteis, a gente se desgasta muito mais deixando de orar e buscando soluções do que se orássemos e buscássemos a solução de Deus. A solução de todas as crises só pode ser encontrada no Senhor, com oração, busca, humildade e paciência.

Ao orar Daniel estava comprovando que sua lealdade a Deus não se abalava pelas circunstâncias. Sua fidelidade estava acima de qualquer dificuldade. Será que nossa fidelidade a Deus depende dEle fazer tudo acontecer como nós queremos? Não importa o tamanho da crise pela qual estejamos passando, Deus é digno de ser adorado e buscado em todo tempo. Lembre-se que as crises muitas vezes vêm para provar se cremos verdadeiramente em Deus e se somos fiéis em todas as circunstâncias.

Daniel foi pego e levado até o rei, sob a acusação de descumprir o decreto real (v. 11-13). O rei Dario gostava muito de Daniel; ficou entristecido com a notícia e tentou fazer de tudo para ajudá-lo e impedir que ele fosse lançado na cova dos leões, porém, mesmo sendo rei nenhuma de suas tentativas teve êxito.

Deus não permitiu que Dario livrasse Daniel do pior. Às vezes, Deus fecha todas as portas, limita os recursos e a ação humana, permitindo que circunstâncias ruins aconteçam. Certamente Ele não se agrada em nos ver sofrer, mas por vezes permite que coisas ruins aconteçam, para cumprir seus propósitos soberanos – que nem sempre nem compreendemos no momento, mas com certeza, um dia Ele os revelará.

Se o rei conseguisse livrar Daniel, a glória seria dele e dos recursos, mas não era esse o propósito. O propósito de Deus era glorificar o Seu nome acima de toda esperança à qual os homens pudessem recorrer. Deus queria mostrar que somente Ele é digno de ser cultuado, nem mesmo o poderoso Dário tinha poder absoluto, pois estava limitado a leis humanas, somente o Deus de Daniel era soberano e digno de adoração.

É intrigante o agir de Deus, desconfio que Ele gosta de dramas, suspenses e reviravoltas. Quando todos os recursos possíveis se esgotam e não há mais pra onde correr, nem pra onde olhar, Deus nos convida a olhar para Ele e depender unicamente do Seu poder. Precisamos depender de Deus, não de pessoas ou recursos. Os homens podem falhar, o dinheiro pode acabar, mas Deus é infalível e infinito. Crises são oportunidades de vermos o agir sobrenatural de Deus.

Daniel não depositou sua confiança naquilo que o rei poderia fazer por ele, não recorreu à justiça dos homens, mas confiou na justiça de Deus.

Se sua vida está em crise, lembre-se: o céu não entra em crise jamais! Deus continua no controle, mesmo quando tudo parece fora de controle. Não coloque sua esperança naquilo que os homens podem fazer. Dependa e confie nEle. Mesmo quando tudo parece perdido Deus pode agir e mudar as circunstâncias (v.17). Ele é o Deus que intervém. Para Ele nada é impossível.

Os versículos 18-19 chamaram muito minha atenção, o texto diz que o rei Dario passou a noite toda sem conseguir dormir, angustiado e atribulado. A Bíblia não diz como Daniel passou a noite, mas eu acredito que ele descansou, pois sabia que Deus estava ali com ele.

Veja o contraste: o rei dentro do palácio atribulado e Daniel dentro da cova em paz! Isso nos diz muito a respeito da natureza do cristão. Ele pode enfrentar a pior das provas ou estar no pior lugar do mundo, mas não perde o sono porque sabe que Deus que trabalha mesmo enquanto dormimos. Ele não perde o seu sono porque Deus está no controle de todas as coisas. Você tem descansado em Deus ou perdido o sono?

Gosto de uma frase de Lutero que diz: “Ore e deixe que Deus se preocupe”, em outras palavras, ore e durma em paz, descanse e deixe suas preocupações com Deus. Qual tem sido a sua reação diante das dificuldades? A de Dario ou de Daniel?

No v.22-24 vemos que Deus tem um cuidado especial com os seus filhos. Mesmo em meio às crises Ele está cuidando de nós. Daniel foi colocado numa cova com leões ferozes e famintos, mas Deus fechou a boca deles para que não lhe fizessem mal, a mão soberana de Deus preservou a vida Daniel do pior (veja o v. 24). Talvez você não perceba, mas Deus está agindo de modo especial com você, com um cuidado que Ele não tem com aqueles que não são parte do seu povo. Deus pode não impedir que a crise chegue à nossa vida – assim como não impediu que Daniel fosse lançado na cova – mas Ele certamente está bem presente conosco em meio à dificuldade.

Todas as circunstâncias da nossa vida têm um propósito principal: Glorificar a Deus. Quer queiramos ou não, nossas vidas são palco da glória de Deus. O cenário que Ele escolheu para manifestar a grandeza do seu poder. Tenha certeza de que tudo o que você estiver passando ou venha a passar é para a glória dEle. Por isso, ao invés de ficar lamentando os acontecimentos, deixe que o mundo veja o agir de Deus em sua vida e a grandeza desse poder. Isso é algo muito difícil – nossa tendência é nos curvarmos sobre as nossas dores – mas não é impossível pra aqueles que amam e são amados por Deus. Veja Jó, Estevão, o apóstolo Paulo; todos eles usaram suas vidas e suas crises para manifestar a glória de Deus ao mundo e esse é o chamado de cada cristão.

Daniel testemunhou o que Deus fizera por ele. Talvez seja difícil para você glorificar a Deus em meio à crise – é difícil pra qualquer um, mas Deus deseja ser exaltado onde e como estamos. Não há melhor oportunidade para testemunhar a Deus do que quando passamos por lutas. Daniel mostrou para Dario e toda a Babilônia a grandeza e o poder do seu Deus.

É incrível quando vamos visitar alguém enfermo ou que esteja passando por uma situação muito difícil na intenção de levar consolo e nós é que saímos consolados e fortalecidos na fé. Deus nos chama para isso, não para termos uma atitude de autocomiseração diante das pessoas, mas a atitude de filhos de Deus, confiantes no poder do Pai que temos, glorificando-o em todas as circunstâncias. Veja o testemunho de Paulo, mesmo preso consolou os que estavam chorando e com pena dele.  Podemos ser facilmente levados a exaltar o sofrimento e a dificuldade, nos deixando levar pela autocompaixão, ao invés de exaltar a Deus.

“Diga para os temerosos, não há nada a temer

Poderosos é o teu Senhor quando clama Seu nome

Ele então virá

Ele vem pra te salvar, diga ao cansado o teu Senhor virá

Ele vem para te salvar

Contempla ao Senhor e te levantarás

Ele vem para te salvar

Diga para os abatidos, não percam a fé

Poderoso é o teu Senhor

Quando clama Seu nome

Ele então virá” (Adhemar de Campos, Ele vem pra te salvar)

 Glorificar a Deus em meio à crise é transformador para os que estão dentro e para os que estão do lado de fora. As nossas crises não tem a ver só conosco (v.25-27). Todo o domínio do rei Dario teve que reconhecer que somente o Senhor é Deus e se curvar perante Ele.

As crises que nós enfrentamos são testemunho para aqueles que estão ao nosso redor, para que saibam que nós servimos a um Deus poderoso. As circunstâncias mais difíceis da nossa vida são os melhores instrumentos de Deus para nos moldar e lapidar. Crises são apenas meios humanos que Deus usa para transformar o nosso homem espiritual e nos tornar mais parecidos com Jesus.

A crise de Daniel lhe trouxe crescimento, aumentou sua fé, lhe concedeu reconhecimento e bênçãos materiais (v.28). No fim, todo mal se tornou em bênção. Como disse um antigo puritano, por trás de uma providência carrancuda Deus esconde sua face sorridente. Isso significa que muitas vezes as bênçãos de Deus vêm “disfarçadas” de crise, mas nós só descobrimos isso, depois que passamos por ela.

Esse texto tem muito a nos ensinar a respeito da soberania de Deus, ele exalta Deus acima de todo o poder. Nem mesmo Dario, o poderoso rei do império pôde fazer a sua vontade, ele teve que se sujeitar à lei dos medos e persas. Mas o nosso Deus é soberano e Ele não está sujeito a nada fora de si mesmo. Não existe circunstância que o obrigue ou limite. Não importa o tamanho da crise, Deus é soberano! Mesmo quando não impede que elas ocorram, Ele continua sendo soberano e usa até as piores circunstâncias para o nosso bem maior, a saber, nos tornar mais semelhantes a Cristo.

“Não obstante, se estiveres completamente convencido de que é sobre a esterilidade do homem que Deus estabelece suas maiores obras, estarás, em parte, protegido contra a decepção e a surpresa. Ele destrói para poder edificar, pois quando está prestes a edificar Seu sagrado templo em nós, Ele primeiro arrasa totalmente esse fútil e pomposo edifício que as artes e os esforços humanos erigiram, e, de suas terríveis ruínas, uma nova estrutura é formada, somente pelo Seu poder” (Autobiografia de Madame Guyon)

Lembre-se disso, Deus usa as crises da vida para estabelecer em nós seu mais belo edifício espiritual. Que Deus te ajude a enfrentar as crises da vida, com fé, esperança, amor e fidelidade.

No amor de Cristo,

Prisca Lessa

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s