Um Orgulho Ferido

image

Abrindo o Baú – parte II

Ainda não leu a Parte I?

Trazer memórias nem sempre é agradável, e o avesso nunca é o o nosso lado mais bonito, mas à medida que Deus como uma tapeceiro nos tece pelo avesso, nos tornamos mais bonitos por fora. Por isso escrevo, porque tenho a sensação de estar escrevendo para alguém específico, então, mesmo quando não quero escrever, penso: Talvez alguém precise ler isto, aqui jaz uma Prisca, mas ainda em construção. Espero que estas palavras sejam para está pessoa, espero que você seja está pessoa.
Quando olho para trás vejo quão infalível é a palavra de Deus, sim, o pranto pode durar uma noite, mas a alegria vem pela amanhã, sim ELA VEM (se você estiver passando pela noite, tenha certeza de que o sol brilhará com graça e justiça em sua vida, lágrimas serão trocadas por risos). Bíblia, canções, orações, livros, poesias e textos foram usados por Deus em dias difíceis, tomei o cuidado de anotar e guardar tudo o que foi útil para mim em cadernos e no decorrer das postagens pretendo compartilhá-los, indicar alguns livros que foram realmente úteis e desembaçaram as minhas vistas.
“No desapontamento a esperança nasce
Pois se tudo mudou e em Cristo eu sou mais do que sou
Se tudo mudou eu abro as velas da embarcação
Na esperança que pela manhã avistarei o porto onde te encontrarei
Confiando na promessa que o pranto toma a noite
Mas logo vem o dia, e gritos de alegria ecoarão!”
Bem, antes de falarmos sobre orgulho ferido, eu gostaria de me apresentar melhor e compartilhar um pouco da minha história pessoal e como cheguei até aqui.
Meu nome é Prisca (não diga! haha), sou angolana e moro no Brasil há 17 anos. tenho 24 anos. Nasci em um lar cristão e sou filha de pastor, a regra lá em casa era: “você só pode namorar depois dos 18 anos QUANDO terminar os estudos” e o conselho básico do meu lindo pai era “Filha, namore só quando estiver na faculdade” (será meu conselho às minhas filhas também) . Ok pai, não foi difícil seguir a regra, aos treze anos eu já havia decidido que seria mulher de um homem só e eu já havia traçado meu perfeito conto de fadas, Deus só teria que assinar embaixo concordando com o MEUS termos. Eu gostava de ser “BV” (será que as pessoas ainda usam isso?!), mas para não passar vergonha na escola, sempre criava romances imaginários para as amigas. Fora disso eu sentia o maior ORGULHO por nunca ter sido “descartada” e ser diferente das outras meninas, quando olho para trás, me vejo como aquele fariseu que orava “Senhor, obrigada porque eu não sou como esse publicano”, enquanto eu achava que estava arrasando diante de Deus, ele me reprovava, mas meu orgulho não me deixava ver isso. E assim eu fui crescendo, dizendo não aqui e ali, cheguei a orar com alguns rapazes, mas meu alvo estava sempre acima de tudo, eu sabia exatamente o que eu queria, assim, eu passei tranquilamente pelos meus vinte anosnsem namorado, dando aconselhamentos sobre esperar em Deus e na expectativa de que um dia depois de casada eu contaria o testemunho, estava mais preocupada com os aplausos das pessoas do que com a glória de Deus, o que eu não sabia é que Deus já tinha preparado um testemunho para mim e que os meus planos não eram os planos dEle, pois os dEle eram mais altos do que os meus! Aos 19 anos conheci um rapaz, e quando pus os meus olhos nele eu disse: Vou casar com ele! Dois anos se passaram e nós começamos a orar, oramos por alguns meses, eu não queria errar, tudo precisava sair perfeito. Passado esse tempo, namoramos e foi um tempo de amizade, crescimento e aprendizado, mas também dificuldades, choques de mentalidade que foram gerando conflitos até que após dois anos de namoro, chegamos ao FIM! Sem querer maximizar, eu nunca havia sofrido realmente, até aquele dia, meu castelo de cartas meticulosamente construído simplesmente ruiu e o PIOR, eu não entendia como Deus podia ter deixado aquilo acontecer depois de “tanta” espera, oração, busca… Os dias, semanas e meses seguintes foram longos demais, eu queria dormir pelos próximos seis meses, parecia que aquilo nunca ia passar, eu não tinha vontade de fazer absolutamente nada e estava desesperada, fiz todas as tentativas possíveis para reatar sem nenhum sucesso. Eu absorvi e assumi toda a culpa do término e isso pesou demais sobre os meus ombros: “eu estraguei tudo” era tudo o que eu conseguia pensar. A culpa é um sentimento avassalador, eu não sabia para onde correr, eu que sempre fui orgulhosa procurei ajuda dos meus pais, pastores, amigos, mas nada e nem ninguém podia aliviar a minha dor, 8 kg se foram em um mês: eu não comia, não dormia e só saía de casa arrastada… Até que eu me rendi. Eu não tinha para onde correr, mas eu sabia exatamente para quem correr. Lembrei-me das palavras e Davi: “Para onde me irei do Teu Espírito? Pra onde fugirei da Tua face?” Então, eu me rendi e nesse momento Deus me amassou e eu entendi exatamente o que Ele estava fazendo comigo eu também entendi o porquê estava doendo tanto, eu achava que a dor que eu estava sentindo era no coração, mas descobri que o agravante estava no ego, meu orgulho havia sido atingido, como alguém podia me desprezar? Eu, a queridinha de Deus, a que fez tudo certo, seria o presente perfeito para o homem perfeito, mas não foi assim. Nesse momento um livro foi fundamental na minha vida: “REMOVENDO AS MÁSCARAS” do Reverendo Hernandes Dias Lopes, eu descobri que eu era a PIOR pessoa do mundo! Deus escancarou a podridão do meu coração, eu era pior que Caim, pior que Saul (personagens que o autor usa como exemplo no livro), pior que todas as pessoas que eu julgava superior e eu não sabia. Minha cegueira espiritual me fazia pensar que eu tinha crédito com Deus, mas Deus abominava meu orgulho. Descobri coisas que eu nunca imaginei que tivesse: orgulho, ódio, inveja, rivalidade. Eu não precisei passar por nenhum congresso ou curso, mas Deus fez uma cura interior em mim que eu nunca vi igual, eu conheci um lado meu (o lado avesso) que eu não conhecia, Deus me mostrou quem eu de fato era e o que Ele via em mim, por dentro do meu sepulcro caiado. Lágrimas de arrependimento foram derramadas, só eu e o Senhor, a dor do término foi substituída pela vergonha, eu me sentia indigna e havia pessoas pra quem eu precisava confessar pensamentos e sentimentos e eu o fiz, amigos, líderes, familiares, foi um longo processo e à medida eu ia colocando para fora, a cura ia acontecendo. Mas eu ainda não havia entendido algumas coisas. Por um momento pensei que o término tivesse sido um castigo de Deus pelo meu orgulho, que havia sido uma rasteira de Deus, agora meu marido não seria mais o meu primeiro e único namorado, mesmo tendo sido temente a Deus e buscado um namoro santo, agora eu tinha um “ex-namorado”, Deus não ia mais me honrar com um marido especial, eu não seria mais um troféu, afinal, eu já tinha sido namorada de alguém, sonhado e prometido amor a outro homem que não seria meu marido, eu não podia me perdoar, eu havia falhado com Deus. Esses pensamentos me angustiavam, fui de um extremo a outro: do orgulho a autocomiseração (sentimento de coitadinha), que também é um pecado. Até que um dia eu entendi, que Deus estava mais preocupado com a corrupção do meu coração do que com a “santidade dos meus lábios” (não que isso não seja louvável, é e muito, Provérbios diz que a mukher graciosa guarda a honra como os valentes guardam as riquezas, a nossa honra é valiosa para Deus é louvável guardar este precioso tesouro, mas pra mim isso não passava de legalismo, eu era “BV” para obter algo de Deus, nunca ter namorado ou ficado havia se tornado meu bezerro de ouro). Apesar de pecar contra Deus honrando Ele com os meus lábios, o meu coração estava longe do que deveria ser, no entanto, nem por isso Deus estava me castigando, o término não era um castigo para eu aprender, Deus não estava lutando contra mim, Ele estava lutando POR MIM, ao meu favor, me curando, me libertando me salvando de mim mesma, ah, foi maravilhoso quando eu entendi isso!
Em João 9:1 – 3, Jesus estava com seus discípulos e Ele viu um cego de nascença e seus discípulos lhe perguntaram: “Mestre, quem pecou, este homem ou os seus pais, para que nascesse cego?“ Ao que Jesus lhes respondeu: “Nem ele nem seus pais pecaram, mas isto aconteceu para que a obra de Deus se manifestasse na vida dele”.
“Para que a obra de Deus se manifestasse na vida dele”, essa foi a resposta de Deus para todas as minhas perguntas naquele momento, era só o que eu precisava saber por hora, o que viria depois não cabia a mim. Deus me revelou que seu amor por mim era muito maior por permitir que sua graça se manifestasse em mim através de uma circunstância ruim e sabe o que é mais maravilhoso nisso? Quando a graça de Deus se manifesta, ela é sempre abundante e aquilo era apenas o começo, Deus superabundou em graça sobre a minha miserável vida, eu não merecia, mas Ele fez.
O que você precisa saber?
Se você terminou um relacionamento recentemente, ou há algum tempo, mas as feridas ainda estão abertas, peça pra Deus sondar o teu coração. Deus revelou através da dor do término um pecado secreto que havia em meu coração: o orgulho e através dele outros pecados como inveja, complexo de inferioridade, amargura, falta de perdão, autocomiseração, eu ficaria aqui até amanhã se listasse todos, mas a grande questão é que moças cristãs que esperaram em Deus (e todos os seres humanos que se acham bons), se sentem injustiçadas e “traídas” por Deus quando um relacionamento termina, parece injusto, fizemos tudo certo, mas é aí que Deus nos pega na curva, essa era a mentalidade diabólica dos amigos de Jó (“se você é justo, por que isto está acontecendo com você?”), estamos confessando que lá no fundo o nosso pensamento é “se eu sou bom e fiel, então Deus tem O DEVER de me honrar, abençoar, não posso sofrer, eu não pequei, os outros podem quebrar a cara porque merecem, eu não”, ou ainda “eu que faço tudo pra Deus estou sofrendo e aqueles que só desonram a Deus estão melhores do que eu, isso não é justo!”. Esse é o cerne Teologia da Prosperidade, que em sua essência prega que se eu sou bom, nada de mal pode me acontecer, mas isso é totalmente antibíblico, se for assim o que a cruz significa? O homem mais santo do mundo sofreu o pior dos males. A verdade é que o que a Bíblia nos ensina através da vida de homens como José, Paulo e o próprio Cristo é que Deus usa todas as coisas, boas e ruins para o nosso bem e seu propósito final não é nos fazer feliz, mas nos tornar à imagem do Seu Filho Jesus (Romanos 8:28,29). Então, minha querida, certifique-se de não haver em seu coração sentimento de orgulho, talvez essa dor latente não seja a do abandono, mas de um ego sendo destruído e se for, dê graças a Deus e confie que Ele sabe o que está fazendo, o nosso Pai sempre sabe!
E o meu testemunho?! Bem, o MEU testemunho, cujo foco era glorificar a mim mesma foi substituído para que a obra de Deus se manifestasse, mas nesse processo eu ganhei muito mais do que perdi, eu acho que aquilo que o Senhor fez e tem feito em minha vida é muito mais belo do que eu achei que seria. Minha vida poderia ser dividida em antes e depois do término e se me pedissem para escolher eu escolheria o depois, isso pode soar estranho, mas eu viveria todo o meu deserto de novo, pois foram os momentos mais nítidos de graça em minha vida, eu sou o que sou por causa deles, sabe do que mais? Eu amo ser quem sou HOJE, eu louvo a Deus, pois sei contra o que lutar, eu já não confio em mim mesma, conheço o meu pecado e ele me mantém de joelhos diante de Deus, e ai de mim se eu não estiver de joelhos diante do Senhor. Tenho entendido que Deus tinha outros planos para mim, seus pensamentos são mais altos do que os meus, enquanto eu enxergo pontualmente, Ele vê o todo, eu creio que “todos os meus dias foram escritos no Seu livro antes de nenhum deles existir”, como disse Davi e de alguns anos para cá, de uma forma muito especial Deus tem colocado em mim um forte desejo de servir, cuidar e ajudar mulheres. Acho que tudo isso faz parte desse processo, há muito mais corações feridos do que curados por aí, e alguém que nunca se machucou não pode falar de uma dor que nunca sentiu; como disse meu pai certa vez, o treinamento de Deus é na prática, se meu chamado é trabalhar com mulheres, Deus me fará passar pelas situações que mais afligem as mulheres, eu preciso passar pela dor para falar da cura e esse é o meu intuito aqui, como já disse no texto anterior, eu não desejava fazer isso enquanto solteira, mas como é Ele quem manda, eu tenho temor e obedeço, melhor assim.
Espero em Deus que essas palavras sejam pontos de luz no coração daquelas que lerem.
Uma observação para aquelas que nunca se envolveram em nenhum relacionamento e estão esperando em Deus. Esse texto não é uma crítica, de forma alguma, eu sonho em ensinar isso para as minhas filhas e a todas quantas puder, espere em Deus, é a melhor coisa, mas o meu ponto aqui é falar àquelas que passaram pela mesma situação que eu e sentem-se culpadas, talvez este não seja o seu caso, glória a Deus, creio que Deus tem um propósito para cada uma de suas filhas, é lindo o testemunho de mulheres que esperaram e se casaram com o seu primeiro namorado, isso serve de motivação para outras mulheres, pois Deus usa cada uma dentro da sua experiência pessoal. Mantenha-se firme, não desanime nem desista, certamente Deus te usará naquilo que Ele tem para você!
“Buscai o Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem mau os seus pensamentos, e se converta ao Senhor, que se compadecerá dele; torne para o nosso Deus, porque grandioso é em perdoar. Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor. Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos. Porque, assim como desce a chuva e a neve dos céus, e para lá não tornam, mas regam a terra, e a fazem produzir, e brotar, e dar semente ao semeador, e pão ao que come, assim será a minha palavra, que sair da minha boca; ela não voltará vazia, antes fará o que me apraz, e prosperará naquilo para que a enviei. Porque com alegria saireis, e em paz sereis guiados; os montes e os outeiros romperão em cântico diante de vós e todas as árvores do campo baterão palmas. Em lugar do espinheiro crescerá a faia, e em lugar da sarça crescerá a murta; o que será para o Senhor por nome, e por sinal eterno, que nunca se apagará” (Isaías 55:6-13)
Com amor,
Prisca
Indicações
Livro: Removendo as Máscaras, Hernandes Dias Lopes
Canção:
Esperança, Os Arrais
Rasgando o coração, Fernanda Brum

Advertisements

2 thoughts on “Um Orgulho Ferido

  1. Aline Novaes says:

    Que lindo Pri! Em um momento desses também aprendi que o propósito de Deus não era me fazer feliz, mas me aperfeiçoar, impressionante era ver que nesse momento de dor várias pessoas se aproximaram e relataram as suas dores semelhantes e só me restava falar do cuidado de Deus…Me derramei diante de Deus e diariamente ele foi cuidando daquilo que mais me afligia… Minha vida também se dividiu “em antes e depois do término e se me pedissem para escolher eu escolheria o depois…” Beijokas

    • Prisca says:

      Nossa Line, acho que é realmente um divisor de águas nas nossas vidas né, a gente cresce e amadurece e como você disse, o interessante é que nesses momentos conhecemos outras pessoas, outras histórias. Talvez um jeito de Deus dizer que no fim tudo sempre fica bem ❤ e fica mesmo, e Deus é tão bom que além de por tudo no lugar ainda nos agracia com crescimento, beleza interior e experiência! E sem dúvida dá pra ver uma linda e melhor Aline hoje! Beijos Liine!! Obrigada!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s